Escolha uma Página

Judas – Casa de Tolerância nº 1

Capa

EP

2016

Brasília/DF

Baixado 83 vezes!

Ouvir

Sobre

Judas lança três canções do EP “Casa de Tolerância nº 1”

Lançamento será no dia 26 de março, sábado de Aleluia e dia da malhação do apóstolo renegado pelos cristãos, nas principais plataformas de vendas digitais

A orelha do artista Vincent van Gogh simbolicamente parou no estúdio da banda Judas, umas das mais inventivas do atual cenário pop musical de Brasília. O órgão auditivo, ícone da passionalidade do gênio da pintura, é o mote metafórico que batiza o EP “Casa de Tolerância nº 1”, que terá três canções lançadas, no dia 26 de março (não à toa, o tradicional sábado de Aleluia e de malhação de Judas, o odiado personagem bíblico).

Nesse dia, os fãs vão conhecer as canções “Casa de Tolerância nº1”, “Cada Cidade, Um Porto” e “Oroboro”. O lançamento oficial do EP sucede o elogiado álbum “Nonada” (2014), que surpreendeu pela qualidade das letras e a fusão melodiosa da viola caipira com o pop-rock urbano, numa criação que tornou real a união improvável dos dois maiores pilares inspiradores de Adalberto, compositor principal: um musical, Bob Dylan e outro estético, João Guimarães Rosa.

Paris das meretrizes

Agora, o imaginário da Judas deslocou-se para uma mítica Paris do século XIX, boêmia e cheias de bordéis pulsantes. Casa de Tolerância nº 1 era um deles. Lá, o pintor Vincent van Gogh cortejava Rachel, a musa à qual, posteriormente, ele endereçou a orelha esquerda mutilada junto a um bilhete ensanguentado: “Guarde esse objeto com cuidado”.

“A história de Van Gogh, um desenrolar extremo de um sentimento amoroso, dá o tom adulto que o EP carrega. Denota ainda a temática desse trabalho, o 1º de uma trilogia que o grupo pretende lançar até o final de 2017: amor e ódio. Depois, vem vida e morte, no EP ‘Matadouro nº 5’, e, por último, doença e cura, no EP ‘Enfermaria nº 6’”, adianta o compositor e líder da banda Adalberto Rabelo Filho, que, antes de vir morar em Brasília, pertencia as bandas paulistanas Numismata e Conjunto Vazio. Como autor, Adalberto tem músicas gravadas por Wado, Maria Alcina, Luiz Melodia e Jards Macalé.

Mistura fina

Formada em Brasília em 2009, no encontro entre Adalberto e o violeiro Fábio Miranda, Judas é uma conjunção de músicos experientes e de donos de trajetórias sonoramente diversas. Afetada pela aridez e a solidão do cerrado, a banda está em sua terceira formação, apresentada pela primeira vez ao público no começo do ano, no Clube do Choro.

São eles: Adalberto Rabelo Filho (vocalista), Fábio Miranda (viola caipira), Carlos Beleza (guitarra e integrante da psicodélica e setentista Almirante Shiva), BC Araújo (guitarra, bandolim e ex-Móveis Coloniais de Acaju), Pedro Souto (baixo e também da Almirante Shiva), Hélio Miranda (bateria, antes era o tecladista da Judas, é também baterista da incensada banda de rock Rios Voadores) e Pedro Vaz (viola caipira e percussão, integrante das bandas goianas Cega Machado e o Calango Negro). O caldeirão resultou numa música pop eletrificada envenenada pelo tom agreste da viola.

“O nome da banda faz uma alusão (entre outras) à fase Judas do Bob Dylan. Judas é como o rotularam quando ele eletrificou o folk. Construí o Judas como um arquétipo do excluído, pra que ele funcionasse como meu bode expiatório, o animal que eu sacrifico para expiar minhas aflições e minhas culpas”, destaca Adalberto.

As primeiras canções

“Casa de Tolerância nº 1” sustenta o conceito do EP e é um mergulho pesado da Judas numa onda mais psicodélica, enquanto “Oroboro” é uma balada com viés romântico e pegada nordestina. “Cada Cidade, Um Porto” dialoga com a Bahia num “afoxé existencialista”.

O EP “Casa de Tolerância nº 1”, que sai pelo selo Martelo, do produtor musical Gustavo Halfeld, foi gravado na Casa Fumarte, da Bilis Negra (dos irmãos Bruno Prieto e Breno Brites). As canções foram captadas à moda antiga, quase todas ao vivo, absorvendo a ambiência do espaço.

A capa do trabalho é do artista Felipe Monoyume, que junto a Adalberto concebeu a arte a partir de referências ao pintor Van Gogh e ao cineasta David Lynch, citando visualmente elementos do filme “Veludo Azul” e da icônica série “Twin Peaks”.

SERVIÇO:

Lançamento do EP “Casa de Tolerância nº 1”

Dia 26 de março (sábado), em todas as plataformas de venda digitais.

Valor: R$ 6 (também a venda fisicamente com o compositor Adalberto na fanpage da Judas no Facebook)

Contatos para entrevista: Adalberto Rabelo Filho (61 9256-9248) e

e-mail: otreblada@gmail.com

CRÉDITOS:

Judas: Adalberto Rabelo Filho: voz; Bruno Cesar Araujo: guitarra, bandolim e backing vocals; Carlos Beleza: guitarras; Fábio Miranda: backing vocals; Hélio Miranda: bateria e teclados; Pedro Souto: baixo; Pedro Vaz: viola e percussões.

Participações especiais: Guilherme Cobelo: backing vocals em “Cada Cidade, Um Porto”, “Oroboro” e “Casa de Tolerância nº1”; Cristina Fleury: backing vocals em “Cada Cidade, Um Porto”; Maria Sabina: voz em “Cada Cidade, Um Porto”; Rosa Barros: clarinete em “Casa de Tolerância nº1 “ Produção Musical: Gustavo Halfeld.

Assistente de Produção: Guilherme Cobelo.

Engenheiro de Som: Breno Brites.

Produção Executiva do EP: Adalberto Rabelo Filho (aardvark produções)

Mixagem e Masterização: Gustavo Halfeld

Gravado em 23, 24 e 28 de janeiro de 2016, na Sala Fumarte (Bílis Negra – Breno Brites e Bruno Prieto.

Gravado em 27 de janeiro de 2016 nos estúdios Martelo (Gustavo Halfeld)

Contatos:

Selo: Martelo (Gustavo Halfeld e João Victor Canizares).

Agenciamento: Joao Victor Canizares, Martelo Recs (showsmartelo@gmail.com)

Produção: Taiana Martins (fone: 61 9880-9990 e email: taiana.ideiascriativas@gmail.com)

Distribuição e venda: Tratore

Assessoria de Imprensa: Drive G Comunicação.

Fotos de Divulgação: Patrícia Soransso

Arte: Felipe Monoyume

Figurino: Quero Melancia

Apoio: Quero Melancia e Miniestéreo da Contracultura.